HISTÓRIA DO ESCOTISMO

    Em agosto de 1907, na Ilha de Brownsea, no Canal da Mancha, Inglaterra, Baden-Powell realizou um acampamento com vinte jovens, de 12 a 16 anos de idade, onde ensinou técnicas como primeiros socorros, observação, segurança, orientação, etc. Como símbolo do grupo levavam aqueles jovens uma bandeira verde com uma flor-de-lis amarela no centro.

    Entusiasmado com os bons resultados deste acampamento, B-P começou a escrever o livro “Escotismo para Rapazes”, que foi publicado em 1908, inicialmente como seis fascículos, de janeiro a maio, vendidos em bancas de jornais. Em maio do mesmo ano foi editado com livro, com ligeiras modificações.

    A recepção das ideias de B-P foi tanta que, em poucas semanas, centenas de patrulhas escoteiras estavam formadas, praticando Escotismo. Rapidamente o Escotismo se espalhou por vários países do mundo. Chegou na América do Sul em 1908, no Chile, e no Brasil em 1910, no Rio de Janeiro.

    Ainda em 1909, mais de 10 mil jovens realizaram uma exibição de suas perícias escoteiras no famoso Palácio de Cristal, em Londres. Nem mesmo a chuva e o frio, naquela manhã do dia 4 de setembro, puderam ofuscar o entusiasmo deles. Nessa reunião histórica, os rapazes formavam a maioria, mas pequenos grupos de moças também compareceram. Elas apelaram a B-P para que as inscrevessem como Girls Scouts (escoteiras), sob fundamento de que tudo quando os rapazes haviam feito elas também poderiam fazer. Já em novembro de 1909, B-P escrevia um artigo sobre o “Programa para as Guias” no Headquartes Gazette, publicação oficial do Escotismo. O passo seguinte era encontrar uma chefe. Pediu a sua irmã, Agnes que lhe ajudasse. Ela aceitou prazerosamente e se constituiu na primeira presidente das Guias, permanecendo até 1920. 

    Temendo a degeneração das suas ideias, e verificando a necessidade de integrar todos dentro de um movimento que crescia rapidamente, B-P passou a dedicar-se à organização do Movimento Escoteiro, que não era sua proposta original.

    Desliga-se do Exército, em 1910, e ingressa no que chamou de sua “segunda vida”, dedicada ao crescimento e fortalecimento do Escotismo.

    Ainda em 1910 é criado o Escotismo do Mar, bem como as “Girls Guides”, ou seja, as Guias Escoteiras. A partir de 1912, B-P passa a viajar pelo mundo divulgando e unindo o Escotismo, que se desenvolve agora como uma “Fraternidade Mundial”.

    Também em 1912 foi publicado o primeiro Manual das Guias, “Como as Moças podem ajudar a construir o Império...”, escrito por Agnes Baden-Powell.

    Foi em 1916 que, a pedido das crianças menores que queriam fazer parte do Movimento Escoteiro, B-P cria o Ramo Lobinho, baseado no Livro da Jângal, de Kypling, com auxilio de sua irmã, Agnes.

    Em 1917 é constituído informalmente o primeiro Conselho Internacional da Associação de Guias da Inglaterra, e no seguinte é publicado o texto base do “Guidismo”, livro por B-P, especialmente para as guias.

    O Escotismo recebe de William F. de Bois Maclaren uma área de terra, na floresta de Epping, arredores de Londres, onde se instala o Gilwell Park, onde B-P realiza, em 1919 o primeiro curso destinado aos Chefes Escoteiros, que passa a denominar-se Curso da Insígnia de Madeira, tornando o Gilwell Park o centro de formação de chefes escoteiros. 

    Em 1930, Lady Olave Baden-Powell é aclamada Chefe Guia Mundial, função que exerceu até 1976, quando veio a falecer.

    A última presença pública de B-P para os escoteiros foi em 1937, no 5º Jamboree Mundial em Vogelezang, Holanda, depois que viajou para o Quênia, onde fixou residência a partir de 1938 juntamente com Lady Olave. Foi nesse lugar tranquilo, cercado por florestas e montanhas, que Baden-Powell morreu.

    O Escotismo, desde sua formação em 1907, se alastrou rapidamente em todo mundo. Hoje, o Escotismo mundial estima a participação de mais de 30 milhões de jovens.

 ESCOTEIROS DO BRASIL - REGIÃO DE SÃO PAULO

18º Distrito Corrente da Paz